blog

8 Sinais de que você está programando demais e precisa dar um tempo

05/03/2015 Paula Cavalieri
8 Sinais de que você está programando demais e precisa dar um tempo

Você ama programar. Todo mundo sabe disso. Na verdade, é o seu ganha-pão desde que você se conhece por gente. Quando você senta diante do teclado, nada mais importa.

Exceto o Código.

Seja PHP, ASP, Java, Ruby, Assembly, Perl ou Deus-me-livre-desse-castigo JavaScript, você vive para o Código.

Na maioria das vezes, isso é um sinal. Seus companheiros de trabalho te admiram. Seu chefe te respeita. Sua conta bancária brilha imaculada com o fluxo constante de salário após salário por um serviço bem-feito.

Mas, e se você estiver exagerando um pouquinho? Minimize esse Bloco de Notas aí, feche esse livrão de 100o páginas um pouco e leia com atenção esses oito sinais de que talvez você esteja programando demais. Se você se identificar com muitos deles, pode ser uma boa hora de puxar o freio de mão, ler um bom livro de ficção, ver um filme que não seja sobre a vida de um programador ou mesmo dar uma volta na praia ou na praça.

Ou vista a camisa com orgulho, bata no peito e feche esse artigo…

1) Você não consegue parar de pensar no Código

Nos lugares mais impróprios, nas horas mais inconvenientes, você está pensando em termos de código, variáveis, funções, objetos. Você acorda de manhã e tenta debugar os seus sonhos. Sua esposa reclama que você virou na cama a noite toda e gritava “compila! compila!” e você hesita na resposta: (A)bortar, (R)epetir, (F)ingir que nada aconteceu.

Debaixo do chuveiro, você executa funções e consulta bancos de dados imaginários enquanto seu filho bate na porta e pede para economizar água. Só aí, você percebe que está molhado. E não tirou o pijama ainda.

O relógio nem deu meio-dia e você já viu mais códigos passando na frente dos seus olhos do que um personagem de Matrix. É sábado, você faz uma VPN com o escritório e abre o projeto. Sua esposa foi pra casa da mãe dela e levou o garoto. Você ainda está de pijama. E molhado.

2) Você só consegue contar em potências de 2

A base 10 está errada. Dezena, centena, milhar, está tudo errado! A base é 2 e você sabe disso. No supermercado, você pede um quilo de batatas e parte pra cima do cara da balança que tentou te roubar 24 gramas.

O boletim do seu filho não faz sentido, a menos quando ele tira 4 ou 8. Se ele tira um 10, você chora e pergunta: “foi essa a educação que eu te dei? Porque você não tirou um 16, seu imprestável?”.

Seu carro só faz três velocidades: 32 no paralelepípedo, 64 na avenida e 128 na estrada. O guarda não entende. Diz que o limite é 100 e você argumenta que é impossível. Sua opinião não melhora mesmo depois do segundo ataque de taser.

3) VocêEscreveTudoEmCamelCase

Espaços são desnecessários, um desperdício de bytes. Você escreve mensagens de e-mail com “PrezadoSenhorGostariaDeSaberACotaçãoDoPreçoDoCartuchoDeImpressoraHP…” e espera ser compreendido.

Você trata seus bytes como pérolas sagradas que precisam ser preservadas e não desperdiçadas no imenso vácuo gerado pela barra de espaços. Você arrancou a barra de espaços do teclado e substituiu por pregos enferrujados. Em contrapartida, o Shift está apagado e tem o formato exato da ponta do seu dedo mínimo.

Sua esposa não entende seus bilhetes ou as listas de compra. Por SMS, você pede para ela dar um pulo no “mCdonalds”. Mas seu caso está piorando: você já está passando a adotar também a notação Húngara… “VouQuererUmhamBigMac++refCocaCola++batFrita”. Sua esposa traz pizza. Fica um climão na mesa.

4) Você começa a ter problemas com a linguagem humana

Sua linguagem nativa faz menos sentido que sua linguagem de coração. Você acha mais fácil falar em .NET do que em Português e confunde as sintaxes. Próclise, Ênclise, Mesóclise? O “se” vai sempre na frente, é óbvio. Mas depois tem que abrir chave ou usar um “then”.

Concordância é para os fracos, o plural é determinado pelo contexto, e “s” no final é desperdício debytes. Sujeito oculto quer dizer que ele não foi declarado? Sujeito composto é array ou é matriz? Seu filho já desistiu de te pedir ajuda nos deveres de Português.

Na hora da foto, você pede para todo mundo dizer “var x”. Pedir a salada na mesa é “SELECT * FROM Table WHERE Nome= ‘salada’”. Você não discute a relação com sua esposa. Você executa Stored Procedures, porque é sempre a mesma ladainha. E é por isso que ela está agora na casa da sua sogra.

5) Você sempre começa a contar de 0

Eficiência é a chave, toda lista é um array. Então, obviamente, você conta as moedas na carteira como 0, 1, 2, 3, 4, 5… O guardador de carros que pede um real, ganha duas moedas de um. O trocador de ônibus te adora.

No futebol, você fica procurando o camisa zero no campo e não entende porque o treinador nunca escala o sujeito e porque os jornais não comentam sobre o assunto.

6) Você tenta usar atalhos de teclado na vida real

Quando não está pensando em código, está pensando em atalhos. Em conversas normais, seus dedos se movem sozinhos e executam automaticamente os movimentos de apertar as teclas certas. Você faz um Ctrl +B quando quer enfatizar um tópicomove os dedos para um Ctrl+I quando quer ser irônico. Quando a conversa acaba ou quando seu interlocutor sai correndo te olhando esquisito, você faz um Ctrl+S.

Quando a porta bateu na nona vez que sua esposa foi passar o final de semana na casa da mãe, você ficou dando Ctrl+Z para ver se ela voltava. Quando não deu certo, você ficou pensando como a vida seria mais fácil com um controle de versão e rollbacks à vontade.

Seu caso se torna crônico quando você começa a usar atalhos que você criou para chamar batchs: Ctrl+Alt+1 para colocar o lixo pra fora, Shift+F2 para arrumar a cama, Ctrl+Shift+M para fazer aquele miojo, porque é isso que você vai ter durante o final de semana.

7) Você não usa mais pontos e sinais como todo mundo

Você esqueceu como funciona a estrutura de um parágrafo, escreve uma frase por linha e sempre termina com ponto e vírgula.

Quando você briga com seu filho, você diz para ele que ele é “igual igual à mãe”. Se estiver muito irritado, dirá que ele é “igual igual igual à mãe”.

Você não consegue assistir um filme e conversar normalmente sem abrir a conversa com “barra barra”. Caso mais grave: você diz “barra asterisco esse ator é horrível! asterisco barra”. É por isso que não deixam mais você entrar no cinema.

8) Você faz algumas coisas bem estranhas…

Não tem uma classificação geral para essas… atitudes, exceto “psiquiatria”, então fique atento se você:

  • Você fuma como uma chaminé, porque não liga para os avisos do Ministério da Saúde. Avisos não importam. Somente mensagens de erro.
  • Você dorme com dois copos na beira da cama. Um cheio de água, caso você sinta sede. O outro vazio, caso não sinta.
  • Você sempre gasta todo o xampu no banho porque está escrito na embalagem: “Espalhe – Enxague – Repita”.
  • Sua esposa dá um ultimato: “você vai ficar aí programando o dia inteiro ou vamos fazer as pazes”. E você responde: “sim”.

Fonte: Código Fonte 

 

Compartilhar nas redes sociais

posts relacionados

© Winsite 2012-2018. Todos os direitos reservados.

Logotipo Winsite Agência Web